Queda (Trajanoska, 2020)

médico colocando gesso no paciente

TÍTULO DO ESTUDO: Base genética da suscetibilidade ao risco de queda no estudo do Biobank no Reino Unido

RESUMO: Descoberta de 3 regiões genômicas associadas a um risco aumentado de queda.

VISÃO GERAL: As quedas são a principal causa de lesões entre os adultos mais velhos, com mais de um terço de todos os americanos com mais de 65 anos sofrendo uma queda a cada ano. Para algumas lesões, como fraturas de quadril, até 90% ocorrem como resultado de quedas. Como muitos fatores que levam à queda, como a cognição e a função muscular, têm um componente genético, este estudo buscou encontrar fatores genéticos diretamente associados ao aumento do risco de queda. O estudo examinou os genomas de mais de 450.000 indivíduos de ascendência europeia e identificou 3 regiões genômicas associadas a um risco aumentado de queda. Diversas variantes foram localizadas em genes importantes para o desenvolvimento do córtex cerebral, região com importantes funções sensoriais e motoras. No geral, o estudo descobriu que quase 3% do risco de queda de um indivíduo pode ser determinado pela genética. O estudo também descobriu que condições como insônia e depressão estão correlacionadas com um risco aumentado de queda, enquanto o bem-estar e a inteligência foram correlacionados com uma diminuição do risco.

VOCÊ SABIA? Certas atividades físicas podem ajudar a prevenir quedas em pessoas com risco aumentado. Isso pode incluir atividades como caminhadas regulares e exercícios como tai chi, que podem melhorar o equilíbrio e a força. [SOURCE]

RESULTADOS DE AMOSTRA: Saiba mais sobre o Nebula Research Library .

resultados de amostra de risco de queda

VARIANTES ASSOCIADAS A RISCO DE QUEDA: rs2709062, rs2111530, rs2431108

RECURSOS ADICIONAIS:
Previna quedas e fraturas
15 maneiras de reduzir o risco de queda (Vídeo)

VOCÊ TAMBÉM PODE ESTAR INTERESSADO EM:
Envelhecimento acelerado (Gibson, 2019)
Healthspan (Timmers, 2020)

ATUALIZAÇÃO SEMANAL: 10 de outubro de 2020