Dependência de nicotina (Quach, 2020)

bandeja de bitucas de cigarro

TÍTULO DO ESTUDO: Expandindo a arquitetura genética da dependência da nicotina e sua genética compartilhada com múltiplas características

RESUMO: Descoberta de 5 regiões genômicas associadas à dependência de nicotina.

VISÃO GERAL: A nicotina é uma substância química comumente encontrada em produtos de tabaco, como cigarros, charutos e e-cigarros (vapes). Muitos fumantes tornam-se dependentes da nicotina. Os sinais de dependência incluem alterações de humor, ansiedade e inquietação após tentativas de parar de fumar. A dependência da nicotina é uma característica altamente hereditária, mas muito poucas regiões genômicas associadas foram descobertas até o momento. Este estudo examinou mais de 58.000 fumantes de ascendência europeia e africana e identificou 5 regiões do genoma ligadas à dependência da nicotina. Duas dessas regiões foram descobertas recentemente. Um deles abriga um gene conhecido como TENM2, que desempenha um papel na formação de conexões entre as células nervosas do cérebro. O estudo também encontrou correlações genéticas entre dependência de nicotina e dependência de álcool, bem como condições psicológicas como transtorno bipolar, esquizofrenia e depressão.

VOCÊ SABIA? A nicotina causa a liberação de dopamina no cérebro, que é responsável pelas emoções de “bem-estar”. No entanto, com o tempo, a liberação de dopamina no cérebro torna-se dependente do consumo de nicotina. Isso cria uma ligação entre o tabagismo e a depressão. Por exemplo, um estudo no Reino Unido descobriu que adultos com depressão têm duas vezes mais chances de serem fumantes do que adultos que não sofrem de depressão. [SOURCE]

RESULTADOS DE AMOSTRA: Saiba mais sobre o Nebula Research Library .

resultados de amostra de dependência de nicotina

VARIANTES ASSOCIADOS AO VÍCIO: rs16969968, rs151176846, rs13284520, rs1862416, rs2714700

RECURSOS ADICIONAIS:
Como funciona a nicotina
Dependência da nicotina – como isso acontece?

VOCÊ TAMBÉM PODE ESTAR INTERESSADO EM:
Consumo de álcool (Jorgenson, 2017)
Câncer de pulmão (McKay, 2017)
Transtornos do jogo (Lind, 2012)
Transtorno por uso de cannabis (Demontis, 2019)

ATUALIZAÇÃO SEMANAL: 12 de novembro de 2020