Síndrome de dificuldade respiratória (Guillen-Guio, 2020)

foto tirada de modelo de pulmão

TÍTULO DO ESTUDO: Síndrome da angústia respiratória aguda associada à sepse em indivíduos de ascendência europeia: um estudo de associação do genoma

RESUMO: Descoberta de uma variante no gene FTL1 associada à suscetibilidade à síndrome da angústia respiratória aguda induzida por sepse.

VISÃO GERAL: A sepse ocorre quando substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea para combater uma infecção provocam uma inflamação em todo o corpo. A sepse pode ser fatal e causar danos a longo prazo em muitos órgãos. Se os pulmões forem afetados, isso pode resultar na síndrome da angústia respiratória aguda (SDRA), em que os fluidos entram nos pulmões, tornando extremamente difícil respirar. Os indivíduos que sobrevivem à SDRA geralmente apresentam comprometimento cognitivo e físico permanente, causado por danos aos órgãos devido ao suprimento insuficiente de oxigênio. Este estudo de todo o genoma examinou quase 2.000 indivíduos de ascendência europeia para entender melhor a predisposição genética para o desenvolvimento de SDRA em pacientes com sepse. O estudo descobriu uma variante no gene FTL1. FTL1 codifica um receptor que desempenha um papel importante no desenvolvimento e função da vasculatura do corpo.

VOCÊ SABIA? Estima-se que a sepse afete cerca de 30 milhões de pessoas a cada ano. As populações vulneráveis incluem idosos, mulheres grávidas e pacientes hospitalizados. [SOURCE]

RESULTADOS DE AMOSTRA: Saiba mais sobre o Nebula Research Library .

resultados de amostra de sepse

VARIANTES ANALISADAS: rs9508032

RECURSOS ADICIONAIS:
O que é sepse? (Vídeo)
Síndrome respiratória aguda Grave

ATUALIZAÇÃO SEMANAL: 31 de janeiro de 2020